sexta-feira, 28 de outubro de 2011


Amanhã vou comprar chocolates e oferecê-los a mim própria, tenho pena de não ter ninguém para me oferecer chocolates depois de uma boa tarde passada no cinema e de um passeio à beira mar de mãos dadas e salpicos de água na cara, estarei eu a desesperar? Esta minha resistência ao amor está a dar comigo em louca.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Gosto de ouvir o bater da chuva, que cai suavemente sobre o parapeito da minha janela, de estar com o caderno na mão a escrever somente rascunhos, acalma-me.

sábado, 22 de outubro de 2011

É estranho como à algumas meses atrás escrevia sem parar e logo de seguida postava no meu blog, provavelmente por saber que ele iria ler e de certo modo que iria ficar a saber tudo aquilo que se passava na minha cabeça, sei que hoje ele vê que entro no msn mas nem sequer repara que no meu nick ainda tenho o link do meu blog, talvez para ele ver e perceber que nunca o esqueci, sinto-me estúpida por ainda o fazer, tenho passado estes últimos dias a escrever mas não tenho postado nada neste blog que em tempos se tornou um refúgio para tudo. O meu gosto pela escrita têm aumentado mais que nunca, mas este espaço está a ficar desabitado, ando a receber o dobro das visualizações e um ou dois comentários, por agora, despeço-me deste espaço, aliás, continuarei a vir aqui, mas não diariamente como em tempos o fiz. 

domingo, 9 de outubro de 2011




Ontem tomei a noite como perfeita, estive com os meus amigos todos, e fomos sair, senti-me completa, aliás, faltavas-me tu, tenho saudades tuas, espero que voltes rápido, porque ainda agora começou e já estou a morrer de saudades.
Adoro-te.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011



Hoje completas o teu 17º aniversário, se não me engano, tenho pena de não te ter dado os parabéns, e de esta ser a única forma de o fazer, nem imaginas o quanto eu gostava de estar ao pé de ti, neste momento, aliás, sempre. Mas como sei que esse sempre nunca irá existir, desejo que sejas muito feliz, que estranho, senti-me completamente parva ao dizer isto, depois da nossa última conversa, se é assim que lhe posso chamar, não deveria desejar tal coisa, mas o que posso eu fazer? Apaixonei-me por ti, na minha cabeça até parece ser fácil cada vez que digo isto, mas sei que é bastante complicado, hoje não me encontro de veras com inspiração nenhuma, passei o dia a pensar em ti, se te daria os parabéns ou não, do mesmo modo que esta foi a única forma que encontrei, mas bem, aqui está o único bocado de inspiração que ainda tinha dentro de mim.
Um beijo grande, Sara.