sexta-feira, 10 de junho de 2011


Tenho uma folha de papel em branco, sem saber o que citar, sem motivo aparente, apetece-me escrever, sei que no final a vou assinar com todo o amor que tenho, mas nem sei o que escrever! O teu nome talvez, não isso escrevo todos os dias no meu pulso, na primeira aula logo pela manhã, e ao soar do primeiro toque, já tenho o teu nome marcado, cravado nos meus pulsos, com caneta de tinta azul.

Bem o que é certo é que qualquer pessoa suficientemente esperta escreveria como está o tempo talvez ou então escreveria somente sobre o seu dia-a-dia, que pena, não me considero suficientemente esperta... Nem tenciono sê-lo, bem, agora antes de dar uso à minha caneta acho que encontrei o tema perfeito!

Sim, hoje só mesmo por dizer que estou feliz, ele mandou-me uma mensagem logo pela manhã quando no meu relógio soava um quarto para as dez, ao princípio, achei a mensagem secante, e pensei se eu desceria suficientemente baixo ao ponto de responder a um simples olá, sim, porque ele (sendo o meu príncipe e o rapaz a quem entrego o meu coração) poderia ter tido um pouco mais de imaginação, e me mandar uma mensagem com mais de três palavras! Incrível como até mesmo a criticá-lo consegui escrever mais de três palavras, sim, deve ser essa a nossa diferença! Contudo, fiquei feliz por outro lado, porque já não falávamos à um dia, sim, no meio de um diálogo por telemóvel, a nossa conversa mudou bastante, falámos de diferentes assuntos, mas sabes quando percebi que já não tinhas nada para me dizer? Quando me falas-te do tempo, ai sim percebi, mas até achei piada, porque em todas as mensagens me conseguias meter um sorriso no rosto, até que me começas-te a mostrar os teus ciúmes, que mais uma vez devo citar que para além de me terem deixado completamente chateada, até me fizeram relembrar os tempos em que namorávamos, é pena agora não termos mais nada, mais estou a habituar-me a isso visto que já conseguimos ter conversas normais, mas sinto falta do rapaz ao qual me apaixonei, sinto que o perdi, e no lugar dele, no seu belo rosto, nos seus cabelos com mexas loiras, no seu corpo que brilhava diante o sol, ficou um amigo, sim, porque agora não o posso dizer que somos nada de mais...

E tudo isto porquê? Porque eu te adoro com todas as letras, todos os adjectivos, e com todos os defeitos que tenhas chapados na cara!

Que bom, a inspiração voltou, sim, deve ter sido porque ele acabou de me mandar uma mensagem de boa noite.

7 comentários:

  1. Olá Sara!
    Estive a ver o teu blog, e gostei muito daquilo que escreves!! Tens imenso talento :D
    Estive a ver uma história que escreves-te e nunca mais deste continuação ''dear love'' gostava que desses, porque fiquei curiosa para ver o desfeixo da história, estou a comentar em anónimo porque nem seuquer tenho conta no google.

    ResponderEliminar
  2. sim está muito giro devias continuar!!!

    ResponderEliminar

LIBERTA-TE! :)