terça-feira, 14 de junho de 2011

Segunda-feira, 13 de Junho de 2011,
Hoje poderia estar suficientemente feliz ao ponto de escrever um texto grande e com palavras bonitas, poderia. O que é certo é que o meu dia, foi suficientemente bom ao ponto de tal loucura, mas como todos os dias, e nesta sala onde escrevo, aconteceu uma coisa que me estragou o dia, passo a explicar: Eu estava feliz, numa aula de artes (que são as que mais gosto) até que numa conversa contigo por telemóvel me dizes estar mal, rapidamente tentai saber o que se passava, não por querer saber como qualquer pessoa quereria, somente porque me disseste que não estavas bem, mas sabes bem que és das poucas pessoas às quais eu sofro sabendo que está mal.
Esta é a última semana de aulas, e sei que é bastante difícil de te encontrar nas férias, isto é, vamos estar separados, detesto estar longe de ti, e agora que tinha como última oportunidade para te ver, para estar contigo, para voltar a sentir o teu perfume nem que seja pela última vez, e os teus doces beijos...
Bolas, o que estou a dizer? Eu nunca mais te vou ver, porque agora que pensei que te iria voltar a ver por muito pouco tempo, tu ficas-te mal, o que te impediu de voltar à escola nestes últimos dias, que cruel te perder desta forma! Nem sabes o quão mal me sinto ao saber que os próximos três meses vão ser passados longe de ti, sim, eu sei que te irei perder e provavelmente estas férias irás conhecer pessoas novas tal como eu, mas não consigo simplesmente pensar no simples facto de me afastar de ti, de te ver com outras pessoas, não consigo, até porque, sabendo que já foste meu, é dificíl imaginar que faças outras raparigas tão felizes como a mim me fizeste, as satisfaças como me satisfazias a mim, sei que provavelmente não pensarás nisto, mas acredita que eu não penso noutra coisa.
Bem, agora só me resta esperar que sejas muito feliz, e que encontres o teu caminho... Porque eu vou fazer os possíveis para encontrar o meu, e olha, se alguma vez ouvires proferir o meu nome, guarda para ti, tudo aquilo que passámos, todos os beijos, tudo, porque eu? Porque eu irei fazer o mesmo, irei guardar para mim todas as palavras proferidas, todos os beijos, e acredita que se um dia me pedirem para falar de ti, irei ter tanto por contar que nem tu próprio imaginas... Gostaria que um dia, isto tudo que tivemos se voltasse a repetir, gostava que voltasses a fazer de mim a rapariga mais feliz do mundo, e acredita, que nunca me irei esquecer da data em que te declaras-te a mim.... E quem sabe que se um dia nos voltaremos encontrar, um dia talvez...
Com amor,
Sara Silva7

9 comentários:

LIBERTA-TE! :)