quinta-feira, 2 de junho de 2011

Relembro-me de quando me proferias as tuas doces e sensatas palavras ao ouvido, quando me prometias fazer feliz, da simplicidade do teu olhar fixado em mim, de quando me dizias que ias fazer de tudo para nunca me perder, de quando me mandavas mensagens ao soar da meia noite simplesmente a dizer para dormir bem e para sonhar contigo, cada vez que o fazias não conseguia dormir, pois passava o resto da noite a sorrir, a olhar para fotografias tuas por baixo dos meus lençóis, acho que sempre nos consideramos felizes juntos, pois todo o amor, e todas as promessas que tínhamos eram sinceras, do frio que tinha na barriga quando pensava em ti, nos nossos beijos, do quanto eu te queria ao meu lado, e do quanto eu já precisava de ti, quando nos conhecemos as coisas eram tão diferentes, nunca pensei vir a apaixonar-me por ti, até que quando dei por mim necessitava de receber uma mensagem tua, e mais tarde já estava a namorar contigo, já me tinha entregado a ti, aos teus braços,e acredita que à muito eu nunca tinha pensado vir a apaixonar-me tão facilmente, mas tu mostraste-me que amar não era um pecado, e que era um sentimento simplesmente normal, mas que só quem o conquistava o merecia, é o que ainda estou a fazer, ainda estou a lutar por ti e a tentar voltar a conquistar este amor que tínhamos, pois agora é a única coisa que me resta, e acredita que vais e serás sempre aquele que eu quererei, e por mais pessoas que se metam no meio, nunca, mas mesmo nunca ninguém irá mudar isso, talvez um dia eu amarei outro alguém, outra pessoa, não me imagino a deixar de te querer, a deixar de querer sentir o teu perfume, e  deixar de necessitar o teu corpo sobre o meu, os teus lábios que por si mesmos são doces como as palavras que sempre me proferis-te, por mais coisas que possas fazer e que me possam magoar, eu não consigo apagar-te simplesmente da minha vida, deixar de te apoiar, porque acredita que é o que mais tenho feito, eu sei quem tu és, e sei daquilo que fazes, do quanto para ti é fácil brincar com as raparigas, com toda a frieza como se fossem simplesmente bonecas às quais tu brincas e depois deitas fora, sem amor, sem nada, mas também sei que por outro lado eu não fui uma dessas, como tu próprio me proferis-te, comigo tu não brincas-te, e se realmente alguma vez me viste como uma das tuas bonecas, sei que não fui uma qualquer, porque sei todo o amor, que tinhas por mim, e acredita que nunca duvidei, sabes uma coisa? É simplesmente pelo facto de saber que fui mais que uma simples boneca na tua vida que me faz lutar por ti, por mais que me magoe, tudo o que me dizem a teu respeito, eu ainda acredito que um dia, tu próprio me digas isso tudo, provavelmente seria uma coisa à qual eu não me magoaria, porque sei que me irias dar uma resposta, e explicar todos esses porquês...

Com amor,
A rapariga à qual chamas-te de amor e agora chamas simplesmente de Sarinha.

8 comentários:

  1. qui fofinha :b
    *adorei o sentimento que expressas-te neste texto o:

    ResponderEliminar
  2. legal! Mas é muito fácil a gente mesmo achar que ele nos amou, eu simplesmente duvido muito e não creio na tese de que, "eu fui a unica que ele chamou de amor, ele estava com vc por detras dos panos eu fui a oficial"

    Eu acho que se houve outras junta com vc, não existe ser especial, quando somos especial pra alguém, esse alguém nao nos machuca...
    Não acredito nisso de que... "as pessoas que mais nos amam nos machucam"
    São as pessoas que MAIS AMAMOS que nos machucam, afinal elas não são completamente como esperavamos..
    É complicado essa coisa toda.

    ResponderEliminar
  3. oh, não precisas de agradecer fofita :b
    naquela que é montagem sarinha? o:

    ResponderEliminar
  4. lindo *-*

    já sigo o tei blog á algum tempo, mas sei se segues o meu :$
    Mas senão gostava que o seguis :$

    ResponderEliminar
  5. adorei mesmo o blog , está lindo *.*
    sigo *

    ResponderEliminar
  6. de nada querida (:

    e obrigada por seguires .

    ResponderEliminar

LIBERTA-TE! :)